segunda-feira, 23 de julho de 2012

Para abandonar os maus hábitos alimentares, é preciso substituí-los


A física moderna diz que a todas as interações entre as partículas existentes na natureza são regidas por quatro forças: a gravidade, o magnetismo, a força fraca e a força forte. São elas que regem o comportamento dos átomos e fazem com que o mundo seja como nós o conhecemos.
Quando o assunto é o comportamento humano, entra em cena uma força que pode muitas vezes ser ainda mais poderosa – a força do hábito.
Os hábitos surgiram para nos ajudar. Estabelecer rotinas foi um jeito que o cérebro encontrou de economizar energia. Uma vez que você já aprendeu a fazer uma atividade, ela tende a ser cada vez menos trabalhosa, e em time que está ganhando não se mexe.
Só que a natureza é traiçoeira. O ser humano evoluiu, passou a viver em cidades e adquiriu hábitos que não são tão saudáveis. Na alimentação, os hábitos errados podem sabotar uma dieta
Info bons hábitos (Foto: arte / G1)
Como o quadro acima mostra, os bons hábitos começam na mesa, mas o problema também pode estar entre as refeições. O docinho no fim da tarde é um ótimo exemplo de como um hábito pode ser ruim para a saúde. A alimentação pode ser toda saudável, mas o excesso de doces pode fazer com que ela engorde.
Os gânglios que ficam na base do cérebro constituem a região onde os hábitos ficam armazenados. Se essa “caixa” se esvazia, o cérebro sente falta – é uma porta de reentrada para os maus hábitos.
Por isso é muito difícil simplesmente abandonar um hábito, é preciso substituí-lo por um novo. Se você come um chocolate todo dia, é difícil abrir mão dele, mas você pode trocar pelo meio amargo, que tem menos açúcar. Outra ideia é trocá-lo pela sua fruta predileta, na mesma hora do dia.
Um hábito que todo mundo deveria ter é o exercício físico. Se você é sedentário e quer começar, vá primeiro para uma atividade que te dê prazer. Insista com ela, e o prazer do exercício logo compensará o prazer que uma hora a mais de descanso daria – e o hábito estará criado.
Uma troca como essa requer coragem e atitude, mas vale a pena. Você vai abrir mão do que parece seguro, mas só saindo dessa zona de conforto é possível mudar os hábitos.
Quando o hábito vira vício, é um desafio ainda maior, como é o caso do cigarro. A força de vontade precisa aumentar, mas o mecanismo é o mesmo – é preciso colocar hábitos novos e mais saudáveis no lugar.

beijos

Carol Foltran

Postar um comentário